10 Hábitos Problemáticos das Pessoas Infelizes!

1419

Você conhece pessoas que são cronicamente infelizes?

Este artigo foi escrito originalmente no Linkedin pelo Dr. Travis Bradberry. Bradberry é formado em Psicologia e co-autor do livro Emotional Intelligence 2.0, um best-seller sobre Inteligência Emocional. 

A felicidade vem de diversas formas que são difíceis de definir. A infelicidade, por outro lado, é fácil de identificar; você reconhece quando vê, e você definitivamente sabe quando é tomado por ela.

A infelicidade é letal para todos que te rodeiam, que a absorvem como se fossem um fumante passivo. Um estudo famoso de Terman da Universidade Standford descobriu ao longo de oito décadas que estar rodeado por pessoas infelizes significa ter uma pior saúde e expectativa de vida menor.

A felicidade tem muito menos a ver com as circunstâncias de vida do que você imagina. Um estudo da Universidade de Illinois descobriu que as pessoas que ganham mais (mais do que U$10 milhões de dólares por ano) são apenas “uma migalha” mais felizes do que os seus próprios funcionários, que ganham o que a média da população ganha.

As circunstâncias da vida tem pouco a ver com a felicidade porque a maior parte da felicidade está sob o seu controle – o produto dos seus hábitos e a sua perspectiva de vida. Os psicólogos da Universidade da Califórnia que estudam a felicidade descobriram que a genética e as circunstâncias da vida são responsáveis por apenas cerca de 50% da felicidade de cada um. O restante depende de você.

A constituição apenas dá as pessoas o direito de buscar felicidade. mas é você quem deve agarrá-la. (benjamin franklin)

Hábitos Infelizes

Quando as pessoas são infelizes, é muito mais difícil estar perto delas, mais ainda trabalhar com elas. A infelicidade afasta as pessoas, cria um círculo vicioso que te impede de alcançar tudo que você é capaz.

A infelicidade pode te pegar de surpresa. Muito da sua felicidade é determinada pelos seus hábitos (de pensar e agir) que você deve monitorar de perto para ter certeza que eles não irão te arrastar para o fundo do poço.

Alguns hábitos levam a infelicidade mais do que outros. Você deve tomar cuidado especialmente com dez deles que são os piores. Preste atenção para ter certeza que você não possui nenhum deles.

Esperar pelo futuro.

esperar-pelo-futuro

Dizer a você mesmo “eu serei feliz quando…” é um dos hábitos infelizes mais fáceis de adquirir. A maneira como você termina esta frase não importa (pode ser uma promoção no trabalho, um salário maior, um novo relacionamento) porque ela coloca muita ênfase nas circunstâncias, e circunstâncias melhores não leva a felicidade. Não desperdice o seu tempo esperando por algo que está provado que não tem efeito no seu humor. Ao invés disso, foque em ser feliz agora, no presente momento, porque não tem nada garantido no futuro.

Gastar muito tempo e esforço adquirindo “coisas”.

As pessoas que vivem em extrema pobreza experimentam um acréscimo significante na felicidade quando as suas circunstâncias financeiras melhoram, mas esta felicidade rapidamente deixa de aumentar quando a sua renda anual ultrapassa os U$20.000¹. Há um universo de pesquisas que mostra que bens materiais não traz felicidade. Quando você tem o hábito de perseguir as coisas materiais, você tem grande chance de ser tornar infeliz porque, além da decepcão que você experimenta após comprá-las, você descobre que você conquistou estas coisas às custas de coisas reais que podem fazer você feliz, como amigos, família, e hobbies.

¹ Valor nos Estados Unidos.

Ficar em casa.

ficar-em-casa

Quando você está se sentindo triste, se torna tentador evitar as pessoas. Este é um grande erro já que socializar, mesmo quando você não está aproveitando, é ótimo para o seu humor. Todos nós temos aqueles dias que dá vontade de colocar o cobertor até a cabeça e não conversar com ninguém, mas entenda que a partir do momento que isso se torna uma tendência, o seu humor acabará destruído. Reconheça quando a tristeza está te tornando antissocial, se obrigue a sair de casa e se mistura, você perceberá logo a diferença.

Se ver como vítima.

As pessoas infelizes tendem a pensar que a vida é dura e que elas não tem controle sobre ela. Em outras palavras, “A vida está aí fora para me ferrar, e não há nada que eu possa fazer para mudar isso”. O problema desta filosofia é que ela provoca um sentimento de impotência, e as pessoas que se sentem impotentes geralmente não agem para melhorar as coisas. Apesar de todo mundo se sentir mal às vezes, é importante reconhecer quando isso passa a afetar as suas perspectivas de vida. Coisas ruins não acontecem somente para você, e você tem o controle do seu futuro a partir do momento que estiver disposto a agir para mudá-lo.

Pessimismo.

Nada alimenta mais a infelicidade do que o pessimismo. O problema da atitude pessimista, além de ser ruim para o seu humor, é que isso se torna uma profecia auto realizável: se você espera coisas ruins, terá mais chance de receber coisas ruins. Os pensamentos pessimistas são difíceis de espantar até você reconhecer o quanto eles são ilógicos. Se obrigue a enxergar os fatos, e você verá que as coisas não são nem de perto tão ruins quando parecem.

Reclamar.

reclamar

A reclamação por si só é problemática assim como a atitude que a precede. O hábito de reclamar é um comportamento que se fortalece por si só. Através de uma fala constante – e por consequência o pensamento – sobre o quanto as coisas estão ruins, você reafirma as suas crenças negativas. Falar sobre o que incomoda nos faz nos sentirmos melhor, mas há uma linha tênue entre a reclamação terapêutica e aquela que alimenta a infelicidade. E além de te fazer infeliz, ao reclamar você também afasta as outras pessoas.

Fazer tempestade em copo d’água.

Coisas ruins acontecem a todos. A diferença é que as pessoas felizes enxergam as coisas como são – uma chateação temporária – enquanto os infelizes enxergam qualquer coisa negativa como uma evidência concreta de que a vida está contra elas. As pessoas infelizes ficam irritadas se sofrerem um pequeno acidente de carro a caminho pro trabalho, mas elas conseguem colocar estas coisas em perspectiva: “Que mer**, mas pelo menos não foi nada mais sério”. A pessoa infeliz, por outro lado, usa isso como uma prova de que aquele dia, semana, mês ou até mesmo a sua vida inteira está amaldiçoada.

Varrer os problemas para debaixo do tapete.

As pessoas felizes se responsabilizam por suas ações. Quando elas cometem algum erro, elas assumem. As pessoas infelizes, por outro lado, acham os problemas e erros ameaçadores, e então tenta escondê-los. Os problemas tendem a se tornarem maiores quando são ignoradas. Quanto mais você não faz nada para solucioná-lo, maior é a impressão de que você não consegue resolver, e então você começa a se fazer de vítima.

Não evoluir.

Por ser pessimista e sentir a sua própria vida fora de controle, a pessoa pessimista tende a relaxar e deixar “a vida levar”. Ao invés de estabelecer metas, aprender e evoluir, ela simplesmente continua assim e depois se pergunta porquê as coisas nunca mudam.

Se comparar as outras pessoas.

se comparar com os outros

Ciúmes e inveja são incompatíveis com felicidade, então se você está constantemente se comparando com os outros, é hora de parar. Em uma pesquisa, a maioria dos entrevistados disseram aceitar ganhar menos dinheiro, mas apenas se todas as outras pessoas fizessem isto também. Cuidado com este tipo de pensamento porque além de não trazer felicidade, na maioria das vezes, tem efeito contrário.

Moral da história.

Mudar os seus hábitos em nome da felicidade é uma das melhores coisas que você pode fazer para si mesmo. Mas também é importante por outro motivo – controlar a sua felicidade faz todos ao seu redor serem mais felizes também.

O que você faz em busca da felicidade?

SOBRE O AUTOR:

Dr. Travis Bradberry

Dr. Travis Bradberry é co-autor premiado do livro mais vendido Emotional Intelligence 2.0, e cofundador da TalentSmart, líder mundial em testes de Inteligência Emocional e treinamento, atendendo mais de 75% das empresas Fortune 500 (maiores empresas dos EUA). Os seus livros mais vendidos foram traduzidos em 25 línguas e estão disponíveis em mais de 150 países. Dr. Bradberry já escreveu, ou foi mencionado pelas empresas de mídia como Newsweek, TIME, BusinessWeek, Fortune, Forbes, Fast Company, Inc., USA Today, The Wall Street Journal, The Washington Post e The Harvard Business Review.

 

Link artigo original: https://www.linkedin.com/pulse/troubling-habits-chronically-unhappy-people-dr-travis-bradberry

Tradução & Adaptação: http://www.buyandhold.com.br

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA