10 Lições de Treinamento de um SEAL da Marinha Americana!

6366

O ex-Almirante William H. McRaven, que também foi SEAL da Marinha Americana, foi o responsável por comandar a operação que resultou na morte do terrorista Osama Bin Laden no ano de 2011.

Em 2014, ele deu uma palestra para os formandos da Universidade do Texas, que tinha lições de seu treinamento que são totalmente aplicadas para a vida. O Almirante William usou metáforas importantes relacionadas ao seu treinamento para entrar na equipe de elite da Marinha dos Estados Unidos. Esse treinamento para se tornar um SEAL é o pesadelo de todos aqueles que sonham em fazer parte de uma das equipes de militares mais bem preparadas do mundo.

O Almirante William afirmou em sua palestra que se cada um dos seus estudantes mudassem a vida de 10 pessoas ao longo de suas vidas, e essas pessoas mudassem a vida de mais 10, em cerca de cinco gerações, essas pessoas terão mudado a vida de 800 milhões de pessoas. E se passasse outra geração, oito bilhões de pessoas, ou toda a população da terra teria a sua vida impactada. E foi sobre isso que ele deu a sua palestra — sobre pequenas atitudes que podem mudar vidas. Segue algumas lições do que o Almirante William aprendeu ao longo de seu treinamento como SEAL da Marinha Americana:

1 – Se você quer mudar o mundo, arrume a sua cama.

Todas as manhãs durante o treinamento para se tornar um SEAL, os seus instrutores fiscalizavam as suas camas. Elas tinham que estar perfeitamente arrumadas. Essa é uma tarefa simples, e o Almirante William achava essa exigência ridícula na época, principalmente porque eles estavam treinando para serem bravos guerreiros — a equipe de elite da Marinha Americana. Mas essa tarefa tem uma sabedoria oculta, que ele afirmou ter comprovado muitas vezes posteriormente:

“Ao arrumar a sua cama pela manhã, você cumpre a primeira tarefa do dia. Ela te dará um pequeno orgulho e motivação para concluir mais outra tarefa. E a partir dessa pequena tarefa, você concluirá muitas outras tarefas maiores ao longo de seu dia.”

Arrumar a sua cama também “reforça a ideia de que as pequenas coisas importam. E se você não consegue fazer as pequenas coisas direito, nunca conseguirá fazer as grandes coisas.”

2 – Se você quer mudar o mundo, encontre alguém para te ajudar a remar.

treinamento seal
Alunos lutando para vencer as ondas durante o último dia da “Semana Infernal” Crédito: Business Insider

Ao longo do treinamento, os alunos eram divididos em grupos de sete para remar para bem longe da costa. Eles tinham que passar por cima das ondas que durante o inverno podem chegar a três metros de altura, esta é a hora mais difícil de todas. Só tem um jeito de fazer isso — remando exatamente com a mesma intensidade e frequência, caso contrário, o bote é empurrado novamente para a areia. Nada adiantaria se um deles não colaborasse.

Se você quer mudar o mundo, encontre pessoas de confiança que irão trabalhar com você como um time. Se esforçando da mesma maneira, e não subindo nas suas costas e esperando você fazer todo o serviço.

3 – Se você quer mudar o mundo, meça a pessoa pelo tamanho de seu coração, não pelo tamanho de suas nadadeiras.

SEAL durante um treinamento de mergulho junto com um veículo da Marinha Americana – Crédito: Business Insider

Ao longo de poucas semanas de treinamento, o número de alunos passaram de 150 para apenas 35. A maioria já tinha desistido. O Almirante William contou que sua equipe era composta de caras altos. Os altos faziam brincadeiras com o tamanho das nadadeiras dos integrantes de uma outra equipe, a “Equipe dos Baixinhos”. Mas no fim das contas, essa equipe sempre ria por último. Ela ganhava de todas na corrida, natação e no remo. A “Equipe dos Baixinhos” era composta por descendentes italianos, gregos, dois de países do Oriente Médio, poloneses e africanos — nenhum deles passava de 1,65 metros de altura.

O Almirante Willian tirou um aprendizado dessa lição: “o treinamento SEAL é um ótimo equalizador — não importa de onde você veio, a sua condição social, raça, cor ou estatura — a força de vontade sempre vence.”

4 – Se você quer mudar o mundo, não se importe de ser tornar um “biscoito de açúcar”.

Muitas vezes por semana, os treinadores alinhava a turma para conferir os seus uniformes. Eles deviam estar perfeitamente passados, alinhados, limpos e lustrados. “Mas não importava o quanto você se esforçava para deixar tudo perfeito, os instrutores sempre achavam algum defeito.”, disse o Almirante William.

“Quando um aluno falhava na inspeção, ele tinha que correr na areia, se molhar dos pés a cabeça, e depois rolar até ficar totalmente encoberto por areia. E você devia permanecer dessa forma pelo resto do dia — molhado, sujo de areia e com frio. Esse efeito era chamado de ‘biscoito de açúcar’.”

Alguns alunos reclamavam que as coisas nunca estavam boas o suficiente, por mais que se esforçassem — esses não completaram o curso. Os alunos não compreenderam a lição do biscoito de açúcar. E a lição é essa: não importa o quão bem preparado você esteja, algumas vezes não será suficiente. Você pode se esforçar muito, mas algumas vezes acabará se tornando um biscoito de açúcar. A vida é assim.

“Se você quer mudar o mundo, aceite se transformar em um biscoito de açúcar e siga em frente.”

5 – Se você quer mudar o mundo, não tenha medo do circo.

Todos os dias os alunos eram desafiados fisicamente. Tinham que correr, escalar, nadar, e fazer exercícios de calistenia. Aquele que falhava nesses testes tinha o nome colocado em uma lista, e no fim do dia, era chamado para “O circo”.

“O circo consistia em duas horas de exercícios adicionais de calistenia, para quebrar o seu espírito e te forçar a desistir. Ninguém queria ir para o circo. Mas todos acabaram indo em um dia ou outro.”

Mas uma coisa interessante aconteceu com aqueles que iam com frequência — eles se tornaram incrivelmente fortes. A dor dos exercícios do circo criou resiliência mental e força física nesses alunos.

“A vida é cheia de circunstâncias. Você vai falhar. Vai falhar com frequência. Será doloroso. Será desmotivador. Algumas vezes irá testar a força de seu espírito. Mas se você quer mudar o mundo, não tenha medo do circo.”

6 – Se você quer mudar o mundo, algumas vezes terá que escorregar no obstáculo de cabeça.

Grande parte do treinamento envolvia transpor obstáculos com corda. Mas o mais difícil consistia em uma corda de 60 metros amarrada entre uma torre de 9 metros, e outra de 3 metros. Os alunos abraçavam as pernas na corda e empurravam o corpo com as mãos, descendo aos poucos. O recorde desse obstáculo havia sido quebrado anos antes do Almirante William entrar para o treinamento, até então ninguém mais havia superado.

“O recorde parecia imbatível, até que um aluno decidiu ir com a cabeça na frente. Parecia uma atitude burra, arriscada. Se ele se caísse era expulso do treinamento, e podia se machucar seriamente. Mas ele encarou, e a descida que demorava longos minutos, foi feita em poucos minutos, quebrando o recorde de muitos anos.”

Algumas vezes você tem que arriscar de forma totalmente inovadora, para conseguir o que outros não conseguiram.

7 – Se você quer mudar o mundo, não deixe tubarões te amedrontar.

Durante uma fase do treinamento SEAL, os alunos são levados para a Ilha de San Clemente, na costa de San Diego. As águas de lá é o habitat ideal para o grande tubarão branco. Para se tornar um SEAL, você deve passar por várias etapas de longos mergulhos, sendo um deles durante a noite.

Eles te ensinam a lidar com um ataque de tubarão — quando ele começa a circular ao seu redor, você deve permanecer parado — não deve fugir. Não deve mostrar medo. Se o tubarão decidir te atacar, você deve dar um murro com todas a sua força no nariz do tubarão. Provavelmente ele nadará para longe.

“Existe muitos tubarões no mundo, e se você quiser completar o seu mergulho, deve lidar com eles.”

8 – Se você quer mudar o mundo, esteja na sua melhor forma durante os momentos mais sombrios.

SEALs fazendo treinamento em águas turvas e de difícil visibilidade – Crédito: globalrecon.net

Uma das funções dos SEALs é atacar embarcações inimigas por debaixo da água. Durante o treinamento básico, as técnicas para esse tipo de ataque são praticadas extensivamente.

O treinamento consiste em desembarcar uma dupla de SEALs fora de um porto inimigo, então esses militares devem mergulhar por mais de 3 quilômetros — usando nada além de um medidor de profundidade, e uma bússola para chegar no seu alvo.

O alvo do barco é a sua quilha, e também e a parte mais difícil de enxergar. Por falta de iluminação, você não enxerga um palmo na frente de seu nariz, e pode acabar ficando desorientado e falhar.

“Todo SEAL sabe que o momento mais crítico e escuro da missão é quando ele está embaixo da quilha. É a hora que você tem que ficar calmo e se recompor — é a hora que o seu preparo técnico, mental, força física, e toda a sua força interior será colocada a prova.” 

Esteja preparado nas horas mais obscuras e desesperadoras.

9 – Se você quer mudar o mundo, comece a cantar quando estiver atolado até o pescoço.

“Uma das semanas de treinamento, a nona semana, é chamada de “Semana Infernal”. São seis dias sem dormir, com constantes ameaças psicológicas e físicas, e um dia inteiro no lamaçal entre Tijuana e San Diego.

É na quarta-feira da “Semana Infernal” que você passa 15 horas na lama congelante, sob constante insistência dos instrutores para você desistir, suportando ventos cortantes. Ao longo da noite a lama já tinha engolido cada um de nós, sobrando apenas a cabeça do lado de fora. Os instrutores nos disseram que nós poderíamos sair apenas se cinco de nós desistisse — apenas cinco — e nós poderíamos ficarmos livres daquele frio opressivo. Olhando em volta, era visível que alguns deles estavam prestes a desistir. Faltava oito horas para o sol aparecer —  oito horas de trincar os ossos.

Os dentes batendo e os gemidos dos alunos eram tão altos que já não se podia ouvir mais nada. E então uma voz surgiu no meio da noite, uma voz que entoava uma canção. A música era cantada terrivelmente fora do tom, mas com grande entusiasmo. Uma voz se tornou duas, e duas se tornaram três, e então rapidamente todos os alunos estavam cantando. Nós percebemos que se um homem podia suportar aquela situação, então todos nós poderíamos. 

Os instrutores ameaçaram a prolongar o tempo se nós permanecêssemos cantando, mas a música persistiu. E de alguma forma a lama pareceu um pouco mais quente, o vento um pouco mais calmo, e a manhã não tão distante.

Se eu aprendi alguma coisa viajando o mundo, foi sobre o poder da esperança — o poder de uma pessoa — Washington, Lincoln, Martin Luther King, Mandela, Malala — uma pessoa pode mudar o mundo ao dar esperança para alguém.”

Cante quando estiver atolado na lama.

10 – Se você quer mudar o mundo — nunca — nunca toque o sino.

Em média, 75% dos alunos desistem e tocam o sino antes de acabar o treinamento para se tornar um SEAL da Marinha Americana.

Finalmente, no treinamento para se tornar um SEAL, existe um sino. Um sino que fica em um lugar onde todos os alunos podem ver. Tudo que você precisa para acabar com todo aquele sofrimento é tocá-lo.

Ele te livrará de acordar as 5 da manhã. Você não precisará mais congelar na água, correr, superar obstáculos e atolar na lama. Mas desistir vai te impedir de mudar o mundo.

“Comece cada dia arrumando a sua cama. Encontre alguém para te ajudar ao longo da vida. Respeite todos. 

Saiba que a vida não é fácil, e que você vai falhar com frequência. Mas se você assumir alguns riscos, se mantiver firme quando os tempos estiverem difíceis, encarar aqueles que querem te humilhar, apoiar os oprimidos e nunca, nunca desistir — se você fizer essas coisas — então a próxima geração, e as gerações que vierem em seguida, viverão em um mundo muito melhor do que esse que nós temos hoje.”

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA