12 Lições que Aprendi com Steve Jobs sobre Negócios

628

 12 Lições com Steve Jobs

Jobs, entretanto, sentiu que faltou um pouco o espírito de fazer parcerias. Ele achou que se soubesse dosar um pouco melhor, teria menos dificuldades para fazer a Apple ter sucesso. Basta comparar com a Microsoft, que fez parcerias para utilizar o seu sistema operacional Windows em diversas marcas diferentes de computador. A Microsoft teve muito menos problemas para ter sucesso. A Apple demorou um pouco mais.

6 – “A cura para a Apple [quando ela estava mal] não é cortar custos. A cura para a Apple é inovar o seu caminho para sair da sua situação atual.” [2004] “Muitas empresas escolheram diminuir, e talvez tenha sido a coisa certa para elas. Nós escolhemos um caminho diferente.” [2010]

Inovação e criação de novas tecnologias é a raiz de todo negócio que envolve tecnologia. Cortar custos, é pedir para regredir. Steve Jobs sabia disso. Sabia que não seria possível cortar custos contratando funcionários menos capazes, ou instalando a empresa em prédio pior, em uma localização pior. Ele sabia que o único caminho era para cima. Neste ramo, vence o melhor, e principalmente, o mais rápido.

7 – “Mesmo uma pequena coisa leva alguns anos. Para fazer alguma coisa grande é necessário pelo menos cinco anos, mais para sete ou oito.”[1995]

É muito difícil pessoas pensando desta forma no mundo de hoje. Principalmente o Brasil que tem uma cultura de curto prazo. Os políticos são eleitos e fazem planos para no máximo um mandato, os empresários querem ter lucro rápido. Os concurseiros querem passar em um concurso público estudando menos de um ano. Temos que ter uma mentalidade diferente e passar a pensar no longo prazo. Porque é impossível fazer um bom trabalho em um espaço curto de tempo. Um trabalho bem feito leva um bom tempo sendo aperfeiçoado.

7 – “Criatividade é simplesmente conectar coisas. Quando você pergunta a pessoas criativas como elas fizeram algo, elas se sentem um pouco culpadas porque elas não fizeram realmente, elas simplesmente viram algo assim. Isto parece óbvio para elas depois de um tempo.” [1996] “Me tornar um iniciante novamente…me deixou livre para adentrar em um dos períodos mais criativos da minha vida.” [2005]

Steve Jobs não se preocupou em criar algo inteiramente novo. Muitas vezes a primeira ideia era melhorar algo, e ai depois ele melhorava esse algo que ele ja tinha melhorado, e continuava neste processo até parecer que era completamente outro produto. Além disso ele conectava as coisas para dar um novo sentido a um produto. E não tinha vergonha de assumir isso.

Além disso ele sabia que a experiência te deixava limitado pois te faz parar de tentar algo novo. É algo como um ditado que diz: “Na cabeça do iniciante há muitas possibilidades, mas na do experiente, há poucas.” 

8 – “Acredito que parte do que fez o Macintosh ser muito bom foi o fato de que as pessoas que trabalharam nele eram músicos e poetas e artistas e zoologistas e historiadores que por acaso também eram os melhores cientistas da computação do mundo. [1996]”

Steve Jobs achava que para se criar um produto realmente bom, era necessário colocar arte e matemática juntas. Ele sabia que racionalidade pura, ou emoção pura, não criava bons produtos. Por isso ele buscava nas pessoas algo além da habilidade técnica, alguma coisa que fizesse com que elas colocassem emoções ao usar as suas habilidades.

9 – “As pessoas acham que foco significa dizer sim para as coisas que você deve focar. Mas não significa isso. Significa dizer não para centenas de boas ideias que estão por aí. Você tem que escolher cuidadosamente.” [2004]
“Inovação é falar não para centenas de coisas. Isso é verdade para empresas, e é verdade para produtos…Nós estamos sempre pensando sobre novos mercados que poderíamos entrar, mas é apenas por dizer não que você poderá concentrar nas coisas que são de fato importantes.” [1998]
É interessante a diferença entre a época das duas frases, e a semelhança. Steve Jobs levou esta filosofia por muitos anos. Ele sabia da capacidade da empresa de criar produtos em qualquer tipo de mercado, mas teve que focar em poucas opções para fazer algo realmente grandioso.
10 – “O meu trabalho não é ser gentil com as pessoas. O meu trabalho é torná-las melhor.”
Steve Jobs cobrava muito das pessoas que trabalhavam com ele. Com esta atitude ele beneficiava tanto as pessoas, a Apple e todos os stakeholders. A lógica é simples:
Os funcionários que não queriam melhorar todos os dias não gostavam da cobrança e procuravam outra empresa com melhor ambiente (e provavelmente menor potencial de sucesso); aqueles funcionários que buscavam evoluir, se tornavam de fato muito melhores sendo incentivados por um perfeccionista como Jobs; a Apple lucrava mais porque criava produtos melhores; os clientes tinham como benefício também os melhores produtos; os acionistas da empresa ganhavam mais dinheiro; todas os fornecedores da Apple também, e assim por diante.
Qual é a parte ruim de o Jobs ser considerado “chato” mesmo? Talvez tenha sido ruim só para ele mesmo e para as pessoas mais íntimas.

11 – “Eu estou convencido de que quase metade do que separa empreendedores bem sucedidos daqueles que não são é pura perseverança.” [1995]

Steve Jobs também disse algo como “Você tem que ter uma enorme paixão pelo que está fazendo porque é muito difícil…se você não tiver, qualquer pessoa racional desistirá.” Com estas duas frases de Jobs, aprendemos que para obter sucesso em qualquer empreitada antes de mais nada é necessário paixão. Porque somente com paixão você conseguirá perseverar e consequentemente, vencer.

Warren Buffett também costuma dizer uma frase (mas não sei se é dele): “Sem paixão, você não tem energia. Sem energia, você não tem nada.”

Se você está detestando o que faz, simplesmente vá fazer outra coisa. Porque sem amar o que faz você nunca irá criar um produto, ou um serviço que irá destacar. E isso nos leva a última frase:

12 – “Eu olho no espelho todas as manhãs e me pergunto: ‘Se hoje fosse o último dia de minha vida, eu gostaria de estar fazendo o que irei fazer hoje?’ E sempre que a minha resposta foi ‘Não’ por muitos dias seguidos, eu sabia que eu tinha que mudar alguma coisa.”

Uma coisa é perseverar ao enfrentar as dificuldades, pensando e se empolgando com o resultado final. Um problema com um hardware, ou com a produção de um iPhone, um prejuízo milionário, nunca fez Steve Jobs desanimar de fazer a Apple ficar grande. Ele tinha a visão de como ele queria que a empresa se tornasse, e buscou esta visão enfrentando todos os problemas que surgiram. Talvez ele não tinha prazer quando estava lidando com estes problemas, mas ele tinha prazer quando imaginava o cenário da empresa como um todo.

E você? Tem prazer pelo resultado futuro do que está fazendo hoje? Ou está trabalhando em algo simplesmente para receber o pagamento do mês? Se você respondeu sim para a segunda pergunta, aconselho a reconsiderar a sua vida e tentar buscar melhores opções.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA