Análise da Livraria Saraiva (SLED) através de Infográficos (imagens)

1116

Estava analisando os dados da Saraiva novamente após as quedas que estão ocorrendo por estes dias.

Para deixar registrado, hoje a Saraiva está caindo cerca de 3%, após ter caído mais ou menos 12% ontem. O valor atual da ação está próximo de R$11,06.

Quando colocamos os dados de uma empresa em forma de gráficos, conseguimos ter uma visão mais clara de seus fundamentos. A Saraiva vem de um histórico consistente de lucros e resultados satisfatórios desde pelo menos 2004, ou seja, 10 anos de resultados consistentes.

No ano de 2013, entretanto, a Saraiva apresentou uma forte queda nos seus lucros e margem líquida. A queda, segundo os diretores da empresa, se deu graças a baixas contábeis feitas por investimentos que não produziram resultados para a companhia. Houveram baixas contábeis consideradas extraordinárias pelo presidente da companhia. A baixa contábil se deve a investimentos que “não apresentam evidências de geração de benefícios econômicos futuros”, sendo eles:

  1.   valor  de R$18 milhões por um investimento em uma plataforma de e-commerce
  2. valor de R$12 milhões por instalação em benfeitorias em uma loja do Shopping Village Mall
  3. valor de R$11 milhões em crédito de ICMS ST estimado em exercícios anteriores, ou seja, estimaram um valor R$11 milhões acima do que de fato receberam.
  4. despesa de R$13.7 milhões com reestruturação da companhia, a Saraiva buscou integrar Editora e Varejo para aumentar a sinergia.

O que eu considero baixa extraordinária: Nos meus cálculos pessoais eu não considero este montante inteiro como despesa extraordinária, eu dou um desconto porque administradores sempre gostam de jogar a culpa pelos maus resultados nas baixas extraordinárias contábeis. E aí todo ano eles “inventam” uma diferente. Mas vamos imaginar que 70% deste valor seja, de fato, extraordinário.

Portanto vamos pegar o lucro de R$13 milhões e somar com 70% do valor ali de cima citado. A somatória daria R$51 milhões, aproximadamente.

Preço / Lucro: Considerando que a empresa no dia de hoje esteja com um valor de mercado de 300 milhões, o resultado de 2013 daria um Preço/Lucro de 5,88.

Payout / DY: Agora pegando um Payout médio, de acordo com o infográfico abaixo, de 36%, vamos chegar a conclusão que a empresa distribuiria aproximadamente R$18 milhões em dividendos. Na verdade ela fez bem mais que isso, distribuiu mais de 190%, mas acabou utilizando a suas reserva de lucro a realizar para distribuir dividendos, o que não foi de fato um dinheiro ganhado no ano. Eu quero fazer este cálculo com um dinheiro que realmente teria entrado. Bom, chegamos em R$0,63 centavos por ação. DY de 5,7%. Quase batendo a poupança, hein?

Receita Líquida / Lucro Líquido: O crescimento da receita indica que a empresa está realmente vendendo mais. Isso se deve a um maior número de lojas.

Conforme disse na outra análise que fiz, a empresa tem tudo para conseguir uma margem líquida de 4%, basta olhar nos indicadores do infográfico. E uma margem de 4% de uma receita de 2.0 bilhões, arrendondando a receita para baixo, daria um lucro líquido de R$80 milhões.

Conclusão: ao meu ver a empresa agora deve focar em abrir menos lojas e pagar suas dívidas. É essencial que a relação dívida líquida / PL fique abaixo de 60%, mesmo para empresas de varejo com grande giro de capital como é a Saraiva.

Margem Líquida: a margem líquida baixa do varejo é uma faca de dois gumes, na minha opinião. Ao mesmo tempo que a empresa é muito influenciada por épocas de crises e fortes concorrências, ela também tem a capacidade de apresentar grande melhora no lucro líquido aumentando apenas 1% de sua margem, por exemplo. 1% no caso da saraiva significa aumento de R$20 milhões no lucro. E para isso bastaria apenas reduzir o enorme endividamento.

Conclusão final

Podemos perceber com isso que esta queda violenta no preço das ações não se traduz racionalmente devido a queda no resultado. Apesar de ao longo do tempo ter tido um aumento constante em sua dívida, a empresa também teve um aumento constante no seu lucro. Agora com pequenos reajustes, enfrentando as dores do crescimento, é muito provável que a empresa entre nos trilhos. Bastaria um administrador com um mínimo de competência.

Portanto sinceramente não acredito que esta queda se deve a piora dos indicadores. Acredito que os investidores de maneira geral estão precificando muito forte a entrada da Amazon no Brasil. Mas se esquecem que aqui existem algumas barreiras de entradas piores para a multinacional. Algumas delas são a burocracia muito pesada, altos custos logísticos e um mercado consumidor de livros com comportamento diferente dos países desenvolvidos. Não estou subestimando a capacidade da Amazon ameaçar a Saraiva, apenas digo que não vale a pena entrar tão forte por aqui quanto muito estão pensando.

 

indicadores_saraiva

Dados Saraiva Parte II

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA