Fundo de Emergência: Você Deveria Ter Um.

516

Quem não conhece caso de pessoas em extrema dificuldade que tiveram que recorrer a empréstimos bancários com juros exorbitantes? Isso é falta de um fundo de emergência!

O fundo de emergência é uma reserva para o caso de ocorrer problemas não esperados. Uma batida de carro, uma doença, problema com a moradia, esse tipo de coisa. Todos nós desejamos não ter tais tipos de problemas. Mas não podemos controlar o nosso futuro.

Fundo de emergência é um assunto onde poucas pessoas entram em acordo. Cada um tem uma opinião sobre o quanto deve ser poupado e onde o dinheiro deve ser investido. Sabendo que cada pessoa tem uma necessidade, as estratégias naturalmente serão diferentes.

Como construir?

Você irá construir como constrói qualquer tipo de poupança. Estipule um valor razoável que não irá te deixar em uma situação desconfortável, mas que também não irá demorar uma eternidade para criar o fundo. Não recomendo demorar mais de 1 ano para compor um fundo de 6 meses, por exemplo.

Valor ideal

Alguns especialistas dizem que o valor ideal do fundo de emergência é de 6 meses a despesa média mensal. Isso significa que se você gasta 1.000 por mês, deverá manter 6.000 em um fundo de emergência livre de riscos. Outros defendem que este fundo deve ser de 3 meses. Mas eu penso que o valor varia de pessoa para pessoa.

Um universitário que ainda mora com os pais e ganha o dinheiro do estágio, provavelmente não vai necessitar tem uma reserva de 6 meses em relação a sua despesa. Afinal, ele terá o pai para ajudá-lo em caso de emergência.

Um pai de família com filhos precisa de um fundo de emergência maior. Ele é responsável por sua família e possui bens de valores consideráveis.

Um aposentado com a sua esposa, também aposentada, deve manter uma reserva de emergência maior ainda. Já que nesta idade, emergência relacionadas à saúde, infelizmente tem uma maior chance de acontecer.

Acredito que um valor razoável seria algo como:

  • 3 meses para o universitário
  • 6 meses para o pai de família
  • 12 meses para o aposentado

Sei que na prática as coisas são bem mais difíceis do que simplesmente falar. Muitos aposentados recebem aposentadorias tão baixas, que mal dá para cobrir as despesas mensais. Por isso, o melhor a se fazer, é fazer um planejamento financeiro ao longo de toda a vida.

Onde o dinheiro deve ser investido

Este tópico depende um pouco da condição financeira de cada um, também. O consenso é que você deve, pelo menos, conseguir um investimento que acompanhe a inflação. Em relação aos tipos de investimento:

Uma pessoa rica, terá despesas mensais altíssimas. E existe um valor onde, no caso de falência do banco, você não receberá o seu dinheiro de volta integralmente. Neste caso o ideal é diversificar entre os tipos de investimentos menos arriscados possível.

Uma pessoa com baixas despesas mensais terá o seu valor coberto no caso de falência da instituição financeira. O ideal é que se busque o melhor investimento com o menor risco, ficando sempre acima da inflação, é claro.

É muito importante conversar com o gerente de seu banco.

O rendimento de aplicações varia muito de acordo com a época da economia, ou as regras que modificam.

A poupança, por exemplo, piorou muito nos últimos anos.

Um aumento ou decréscimo da taxa de juros poderá influenciar o investimento no Tesouro Direto, por exemplo. No caso de taxa de juros alta, é melhor utilizar o título pré-fixado (porque a chance da taxa diminuir é maior do que aumentar) e no caso de taxa de juros baixa, pós-fixado (o inverso ocorre). A inflação também é um fator que influencia no tipo de título a ser comprado e investimento a ser feito.

O que fazer com o dinheiro?

Primeiramente vou responder o que NÃO fazer: gastá-lo.

Você não deve gastá-lo de forma alguma, a não ser que seja em caso de emergência. A emergência são coisas do tipo que você é OBRIGADO a resolvê-las. São do tipo que, se você não tivesse a reserva de emergência, teria que pedir empréstimo para o BANCO pagando juros de 20% ao mês, se fosse o caso.

E se eu chegar a gastá-la?

Se você gastar, terá que pensar em formas de recuperar o seu fundo. Faça um planejamento mensal, como se você estivesse começando do zero. Se comprometa em aplicar um valor todos os meses.

Devo reinvestir os juros?

Eu não aconselho. Porque você terá colocado o seu fundo de reserva em tipos de investimentos que menos rende, porque são os mais seguros. E o fundo de reserva não é uma poupança normal. Você deve transferir estes juros para um investimento com maior rentabilidade, ou poderá gastá-lo como bem entender.

O juros é a sua recompensa por ser tão disciplinado em manter uma reserva constantemente. 😉

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA