Investimentos: Curto Prazo versus Longo Prazo

362

fightinvestorsFrequento algumas redes sociais e fóruns sobre investimento em ações e sempre vejo conflitos entre dois tipos de investidores: aqueles que investem a longo prazo e aqueles que preferem o curto prazo.

Como sou defensor do longo prazo, irei defender esta filosofia de investimentos. Não citarei todas as vantagens que vejo em investir a longo prazo, e sim rebater um dos principais argumentos utilizados pelos investidores de curto prazo e acrescentar mais alguns a favor do buy and hold.

Os especuladores sempre justificam citando empresas que nunca mais voltaram a um determinado preço que alcançou ha 3-5-7 anos atrás. Acontece que eles se esquecem alguns fatos:

1) Supervalorização

Saber se quando a empresa estava no seu topo histórico, o valor de suas ações condizia com os seus fundamentos.

Na maioria das vezes o topo histórico de qualquer empresa tem um preço altamente supervalorizado. Impedindo qualquer investidor sensato a investir nesta empresa. O seu “amigo que comprou a ação x a tal valor e nunca mais recuperou o seu dinheiro”, provavelmente agiu de forma imprudente. Não serve como argumento para justificar que investir a longo prazo é um mau negócio.

Seria o mesmo que ser contra a fabricação de automóveis porque muitas pessoas sofrem acidentes com eles. Um investimento de longo prazo bem planejado e um automóvel bem utilizado, representa uma grande evolução na vida de qualquer pessoa.

2) Condição Temporária

Sempre citam empresas que são afetadas por problemas, e se possível, aliada a uma conjuntura macroeconômica negativa com o intuito de generalizar a desvantagem que acreditam ter o longo prazo. Enquanto se estes investidores perderem dinheiro nas suas operações de day ou swing trade, consideram que “faz parte do jogo” . Utilizam claramente dois pesos e duas medidas.

3) Dividendos

Alguns especuladores acreditam que tem a capacidade de receber dividendos porque as companhias sempre divulgam qual será a data de pagamento e a data ex-dividendos. Mas como todos os outros especuladores também acreditam, eles fazem o preço da ação subir alguns dias antes, anulando o valor de dividendos recebidos. Os investidores buy and holders recebem de fato os dividendos agregando um valor real ao seu patrimônio, e poderá utilizar estes dividendos para recomprar mais ações.

4) Taxa de corretagem

A taxa de corretagem corrói mais o rendimento do que muitos imaginam. Já fiz uma análise sobre isto em um dos artigos no início do blog. Muitas pessoas se esquecem de contabilizar a taxa de corretagem no rendimento ou no preço médio de suas ações. É um grande erro.

5) Imposto de Renda

O volume máximo de venda de ações isento de imposto é R$20 mil reais por mês. Este valor é ultrapassado facilmente por aqueles investidores que fazem muitas negociações mensais, os que tem a filosofia de curto prazo. Ao ultrapassar este limite, o investidor deverá pagar 15% sobre os seus ganhos. Ex: venda de R$100 mil por mês e lucro de R$5 mil na realidade não representará um ganho de 5% no mês, e sim um ganho real de R$5 mil subtraindo corretagens e os 15% de imposto de renda. E o imposto de renda sobre este lucro será de R$750 reais, ou 0,75% do seu lucro.

Concluindo…


Percebemos que investir a curto ou longo prazo não tem a diferença baseada apenas no valor da ação de uma empresa. Outros fatores também estão em jogo, e a maioria destes fatores estão contra os especuladores, aqueles investidores de curto prazo.

Generalizar uma filosofia de investimentos como ineficaz baseando apenas em empresas que passaram 5 anos sem se valorizar é o mesmo que dizer que especular é ineficaz porque muitos especuladores
perderam 30% em poucos dias na queda da OGX. Seria justo?

2 COMENTÁRIOS

  1. Considero que esteja um tanto embolado os conceitos ai. Curto prazo nao significa renda variavel nem especulação nem trade necessariamente, assim como longo prazo nao significa necessariamente buy and hold!
    Ora, para cada objetivo que eu tiver posso ter um prazo especifico (ex: trocar carro, comprar casa, uma viagem…), e é este o ponto chave, termos primeiramente objetivos pra dai fazer coisas com um proposito.

    • Boa tarde Ícaro, peço desculpas por demorar tanto a responder. Passei um bom tempo sem logar aqui no blog.

      Bom, no caso específico do post eu tratei sobre investimentos em ações no longo prazo e curto prazo. Quando se investe em ações buscando o longo prazo, necessariamente você “segura” a ação, ou seja, é buy and hold. No curto prazo eu concordo que não seja necessariamente trade. Mas é sim, especulação. A bolsa é meramente especulativa a curto prazo. Se você investe pensando em retirar o dinheiro em menos de um ano, saiba que pode ocorrer um problema temporário macroeconômico (mas que não afeta o lucro da empresa) que mesmo as ações que estão baratas, ficarão mais ainda. E não tem como prever, ou ter uma justificativa plausível.

      Entretanto no longo prazo o preço da ação sempre acompanha o desempenho da empresa.

      Abraços e obrigado pelo comentário.

DEIXE UMA RESPOSTA