Marketing: 3 Formas de sua Empresa Contar uma Melhor História!

145

Qualquer pessoa pode criar uma história atraente e falsa para convencer os consumidores a comprar os seus produtos. Pergunte Elizabeth Holmes e a Theranos, ou a Dilleto e Suco Do Bem. Eles aprenderam que inventar histórias pode ter sérias consequências.

Mas quando se trata de um bom marketing, contar histórias verdadeiras tem um grande valor. Ela faz com que o seu público alvo se identifique com a sua empresa, criando proximidade e fidelidade do consumidor.

O portal Inc listou algumas dicas valiosas (e verdadeiras) que podem te ajudar a alcançar a audiência que você deseja, e fazer com que a sua marca se torne mais conhecida e admirada.

1 – Você provavelmente não irá mudar o mundo — mas está tudo bem.

Eu nunca li um livro que começou com as palavras, “Este livro irá mudar o mundo.” Ainda assim eu já contei inúmeras startups que começaram a sua história com alguma versão desta mesma afirmativa.

É sério? Receber um queijo/camiseta/caixa de aperitivos pelos correios todo mês irá realmente mudar o mundo?

Não tenho muita certeza disso.

Mas ainda bem que mudar o mundo não é necessariamente o que eu, o consumidor, tinha em mente quando eu virei assinante para passar a receber estes tipos de produtos pelos correios.

Pouquíssimos negócios e startups irão realmente mudar o mundo. A maioria não irá.

Quando você contar a história de sua empresa, fique longe de afirmações genéricas sobre como mudar o mundo, e lembre que…

2. Uma grande história é contada em detalhes.

Startups em particular pode ter grandes visões apoiadas em poucos detalhes. Por exemplo, eu conheci um fundador que proclamava que a sua startup iria eliminar uma das maiores redes sociais do mundo.

Como isso irá acontecer?

O fundador não conseguiu falar, exatamente — mas iria acontecer.

Aí está: Romeu e Julieta é uma história de romance trágico. Assim como vários outros romances baratos.

A diferença entre Romeu e Julieta e estes outros romances está nos detalhes.

Uma palavra. Uma frase. Uma pausa.

Detalhes.

Se a sua empresa irá derrubar um concorrente dominante, não será devido a uma narrativa genérica e sem qualquer significado sobre mudar o mundo.

Aí está a diferença:

Narrativa 1: “Nós iremos mudar o mundo ao ser o (Uber/AirBnB/Apple/pegue uma empresa de sucesso) da (toalha de papel/creme de barbear/comida de microondas/ pegue qualquer coisa)”

Narrativa 2: “Consumidores passam uma média de (um tempo qualquer) considerando (grande compra de algum produto) antes (de tomar alguma decisão ou adotar alguma ação específica) e nós podemos entregar valor ao (fazer algo que ninguém mais faz.)”

A narrativa 1 é cheia de generalidades que, no fim das contas, adiciona um monte de coisas em lugar nenhum.

A empresa que conta a narrativa 2 tem muito melhor chance de atrair uma audiência valiosa, incluindo investidores e consumidores.

3. Uma grande história faz com que as pessoas chorem — e faz com que outras amaldiçoem o dia em que o autor nasceu.

Uma grande arte — incluindo grandes histórias — repele quase a mesma quantidade de pessoa que atrai.

O mesmo acontece com as empresas.

Eu tenho amigos que nunca, em circunstância alguma, compraria produtos da Apple. O meu pai sempre foi um cara da Chevy, nunca seria pego andando em uma camionete da Ford.

E ainda, a Apple e Ford estão se saindo muito bem.

Se a sua história é uma história de todos, ela se tornará uma história de ninguém.

Não deixe que o medo de conquistar uma audiência específica faça com que você conte uma história vaga e sem sentido para tentar conquistar todo o tipo de audiência.

 

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA