Metodologia para Análise de Balanços de uma Empresa – Parte III

738

Prosseguiremos o post que trata da análise de uma empresa para investimento.

Parte 2: http://www.buyandhold.com.br/analise-de-negocios/

– Ganho (ou perda) com a venda de ativos e Outros

Quando a empresa vende um ativo que não faz parte da sua atividade principal, (por exemplo: um supermercado que vende uma de suas lojas) o lucro ou prejuízo é registrado na conta “Ganho (perda) com a venda de ativos”. O ganho é registrado quando há diferença entre o valor contabilizado nos balanços e o valor de venda. Um prédio que foi comprado por 10 milhões e foi depreciado valendo agora 8 milhões, pode ser vendido por 12 milhões. Isso daria um lucro (ganho) de 4 milhões, pois no balanço da empresa o prédio tinha o valor de 8 milhões pós depreciação. O contrário também ocorre, quando o bem foi vendido abaixo de seu valor contábil.

O item “Outros” é composto por eventos não operacionais, incomuns e que não geram receitas frequentemente. É contabilizado na demonstração do resultado do exercício. Tais eventos podem incluir acordos de licenciamento, venda de patentes, claro, se não for uma atividade comum ou frequente da empresa. Às vezes eventos recorrentes podem ajudar muito o resultado da empresa, o que é muito importante que o investidor tenha cuidado ao analisá-los. Warren Buffett acredita que estes itens devem ser removidos de qualquer cálculo de avaliação para determinar se uma companhia vale ou não o investimento. Tais itens distorcem e confunde a visão do investidor, pois são resultados que aumentam o lucro mas não continuarão no futuro. Este é um erro muito comum de investidores inexperientes: se deixarem iludir por balanços inflados através de venda de ativos e/ou Outros.

– Lucros antes dos impostos (Ebitda)

Os números de Ebitda são muito utilizados por diversos investidores no mundo inteiro, inclusive por Warren Buffett. O ebitda é o lucro antes dos impostos, juros, depreciação e amortização. É o lucro que sobra após pagar todas as despesas. É um dado interessante pois permite comparar diversos tipos de investimentos. Existem investimentos isento de impostos, por isso é necessário considerar o Ebitda de uma empresa para saber quanto é a rentabilidade daquele negócio. Quanto aquele negócio é capaz de gerar em suas atividades em um ambiente “isolado”, e comparar a outros tipos de investimento como os de renda fixa com e sem tributação.

Warren Buffett quando comprou US$ 139 milhões em títulos isentos de impostos da Washington Public Power Supply System (WPPSS), que lhe renderam US$22,7 milhões por ano em dividendos isentos de impostos, considerou que US$ 22 milhões após impostos corresponderiam a US$45 milhões antes dos impostos (Ebitda). Com esse cálculo ele estimou que precisaria pagar entre US$250 milhões e US$300 milhões por uma companhia lhe rendesse o mesmo em Ebitda. Portanto ele viu que os títulos era um ótimo negócio, visto que estava com 50% de desconto em relação ao preço justo.

– Lucro Líquido

É através deste item que verificamos quanto a empresa ganhou depois de pagar todas as suas obrigações. A primeira etapa de sua análise é verificar se o lucro líquido está ou não com uma tendência história de alta. O lançamento de um único ano não vale nada, pois pode haver distorções. A tendência de alta deve ser verificado em um intervalo de longo prazo, como de 10 anos, por exemplo. Veja bem, o lucro deve ser considerado como um todo. Cuidado ao analisar o lucro por ação, porque programa de recompra de ações pode distorcer também este dado. Ao recomprar ações, a companhia passará a ter um menor número de ações para dividir o seu lucro, causando o aumento do lucro por ações.

Companhias com vantagem competitiva durável geralmente tem a relação lucro líquido / receita bruta maior. A sua margem líquida é mais elevada. Se Warren Bufett pudesse escolher entre uma companhia que está lucrando US$2 bilhões com uma receita total de US$10 bilhões e uma companhia que está lucrando US$ 5 bilhões com uma receita total de US$100 bilhões, optaria pela primeira. Isso porque a primeira empresa conta com uma margem líquida de 20%, enquanto a outra com uma margem líquida de apenas 5%.  Empresas como Coca-Cola e Moody´s conta com margem líquida acima de 20% , enquanto empresas de aviação conta com margens abaixo de 10%. Isso mostra qual mercado é o mais competitivo e difícil de obter vantagens competitivas. Sempre busque empresa com altas margens de lucro. A única exceção é para bancos e instituições financeiras: quando estas empresas tem a margem de lucro MUITO alta em relação a sua receita, pode indicar desleixo por parte do departamento de gestão de risco. Significa que eles correm muito risco para obter retornos muito elevados.

– Lucro por ação

O lucro por ação é o lucro da empresa dividido pelo seu número de ações. Normalmente companhias com lucros altos por ação tem ações a um preço elevado. Você deve verificar a tendência do aumento de lucros a longo prazo, mas sempre atento também ao lucro da empresa de maneira geral (por causa do programa de recompra de ações mencionados anteriormente). Cuidado com empresas de lucro oscilante entre prejuízo e/ou com tendência de baixa. Pode indicar empresas em setores competitivos, com produtos ruins ou má administradas.

 

Parte 4: http://www.buyandhold.com.br/avaliacao-de-empresa-parte-4/

8 COMENTÁRIOS

    • Marco, não sei como fui tão distraído, mas só vi o seu comentário hoje. Muito obrigado por comentar, espero que você ainda esteja lendo os artigos! Abraços, e desculpe pela minha falha.

  1. Só tenho um comentário a fazer em relação as margens. Vi uma vez num site um exemplo sobre exemplos de margens. Um vendedor num mês vende um carro por 100 mil e ganha 20 mil. Margem de 20%. Já outro vende 2 carros no mês mas ganha 10 mil em cada operação. 100 mil e ganha 10 mil e após 15 dias vende outro por 100 mil e ganha mais 10 mil. Margem de 10% mas aqui tem que considerar o giro do ativo. A BRFS estaria num caso desses, margem baixa mas um giro maior.

    • Sim, Rodrigo. As empresas com alto giro são máquinas de fazer dinheiro devido ao alto faturamento. Porque se elas conseguirem aumentar 1 ponto percentual em sua margem líquida, elas aumentam o lucro líquido de forma impressionante. Mas isso é uma faca de dois gumes, porque elas também são mais frágeis por não terem tanta gordura para queimar em épocas de crise ou de grande concorrência. Quer um exemplo? As empresas do segmento de eletroeletrônicos. A concorrência é tão brutal que em épocas de vacas magras muitas vezes não conseguem ter lucro. Uma empresa com uma margem grande geralmente tem produto único, e se quiserem podem abaixar bastante o preço que continuará lucrando bastante. No caso destas varejistas de eletroeletrônicos, elas vendem “commodity”. Qualquer uma consegue vender exatamente os mesmos produtos, o que muda é o processo, as estratégias. Obrigado por comentar! Grande abraço!

      • Só uma observação: eu me referi as varejistas do segmento de eletroeletrônico como: Casas Bahia, Magazine Luiza, Ricardo Eletro…não aos fabricantes que conseguem sim, diferenciar seus produtos.

DEIXE UMA RESPOSTA