5 Lições que Aprendi com O Melhor Motorista de Uber do Mundo!

699

Recentemente, a caminho do aeroporto de Los Angeles eu peguei uma carona em um Uber que mudou a minha perspectiva sobre como vejo empregados. Existe um rótulo sobre “empreendedorismo” que usamos todos os dias que sugere que você é empregado ou você é dono de algum negócio. Mas se você olhar direito, todos nós somos tecnicamente empreendedores.

Assim que eu entrei no carro do Vicente, imediatamente já senti algo diferente. A medida que andamos por algumas ruas, ele me contou que era um viajante que fotografava casamentos e que foi forçado a vender o seu Mini Cooper conversível para pagar as suas contas.

Vicente me contou sobre como ele se tornou um motorista de UberX e mudou do status ouro para platinum em apenas 12 meses. Antes de conhecer Vicente, eu nunca encontrei um homem tão orgulhoso das suas conquistas e da empresa que trabalha.

Ele é um funcionário modelo porque não tem frescuras. O foco dele no atendimento ao consumidor é quase sobrenatural. Nunca antes uma corrida do Uber me fez arrepiar, especialmente depois de duas semanas exaustivas na California, e com um longo vôo de volta até a Austrália pela frente. Conhecer ele me deu orgulho de ser humano e ouvir a sua história foi inspirador. Aqui estão as cinco coisas que você pode aprender com o melhor motorista de Uber do mundo!

1. Todos tem um sonho.

Durante a minha viagem com Vicente eu ouvi sobre o seu sonho. No passado eu acreditei facilmente na mentira de que todos tem um sonho grandioso, como ganhar uma medalha de ouro olímpica ou pilotar naves espaciais, mas eu percebi que é fácil esquecer de que nem todos os sonhos são tão grandes assim.

Alguns de nós temos sonhos muito menos complicados como o sonho de ser um grande pai/mãe ou de chegar em um cargo alto dentro da sua empresa. No caso do Vicente, ele quer se tornar um Uber Black e comprar uma BMW nova para oferecer um serviço diferenciado que ele acha que é capaz.

 

 

Vicente quer se tornar o motorista de Uber de maior sucesso que já pisou na terra e nada o impedirá de encontrar novas maneiras de surpreender os seus clientes. Imagine se todos nós pensássemos assim…as coisas que poderíamos conquistar e o progresso que a raça humana teria.

Vicente me mostrou que não importa a sua nacionalidade, o seu passado ou circunstâncias, todos tem um sonho, e quando você dedica 200 por cento, você terá os resultados que sempre sonhou.

2. O atendimento ao consumidor é o principal diferencial.

Todos nós já pegamos um taxi tradicional e ouvimos o motorista reclamar sobre o quanto esse negócio é difícil.

O que Vicente me ensinou é que nenhum negócio é difícil para aqueles que estão dispostos a trabalhar duro e acordar todos os dias com tudo que tem pra dar.

O trabalho se torna difícil quando você aparece sem um propósito, e você odeia o que faz. É fácil criar um nome para si mesmo com o seu próprio negócio ou como funcionário: apareça para trabalhar todos os dias na sua melhor versão e demonstre a sua paixão. Olhe para o seu consumidor nos olhos e mostre que você leva a sério da mesma forma que Vicente fez comigo.

Antes mesmo de eu entrar no carro, Vicente já tinha guardado a minha mala cuidadosamente no porta-malas e se certificou de que eu estava confortável. Ele então me contou que saiu do carro primeiramente porque já estava sentado há algum tempo e queria ter a certeza de que teria um nível alto de disposição para a nossa viagem (quem faz isso…).

Ele então checou as condições de trânsito para ter certeza de que não chegaríamos atrasado no aeroporto — mesmo eu estando adiantado — para que tivesse tempo suficiente para relaxar e comer antes do meu vôo. Tudo foi pensado, e ele não deixou nada por fazer. No fim da corrida, eu me senti como um rei sendo levado por este incrível motorista que me contou toda a sua história e transformou para melhor o meu último dia em Los Angeles.

 

3. Todos nós somos Empreendedores.

Durante a minha conversa com Vicente eu percebi a diferença entre ele e todos os outros motoristas do Uber. Ele não falava estas coisas da boca para fora; ele realmente acredita que ele era o negócio, e que na verdade o Uber apenas fornecia clientes para ele.

Esta diferença na forma de ver as coisas pode nos mostrar que ser dono do próprio negócio é uma realidade para todos mesmo que as pessoas não saibam disso. O fato é que os donos de negócios pensam de forma diferente — eles pensam como Vicente, e isto é uma coisa boa.

4. Tudo se resume na relação ganha-ganha.

Existe uma frase entre todas as outras ditas por Vicente que ficou comigo. Ele disse: “O negócio se resume a você me ajudar e então a empresa me ajuda, e em troca, eu ajudo vocês dois.” Este ciclo continua como um casamento bem sucedido quando você entende esta filosofia e o seu significado.

A descrição que Vicente me apresentou foi quase como uma forma utópica de ver os negócios, e o seu sucesso é uma demonstração de que isso funciona realmente muito bem quando os três lados estão colaborando.

5. Atitudes positivas são quase impossíveis de abalar.

Assim que estacionamos no aeroporto de Los Angeles, eu decidi fazer uma experiência com Vicente e testar se tudo aquilo que ele disse era real. A forma que fiz isso foi questionando a sua confiança. Eu acreditei falsamente que a única coisa capaz de quebrar a sua forma positiva de pensar era a tecnologia disruptiva.

Eu perguntei para Vicente o que ele pensava sobre os carros auto-dirigíveis e se eles atrapalhariam o seu sonho no Uber. Assim como nos últimos 45 minutos, Vicente novamente me mostrou uma atitude positiva.

Ele disse, “Tim, sempre haverá novas tecnologias, e eu dou boas-vindas a elas. Esta tecnologia ainda está a 5 anos de distância e até lá, se o meu tempo acabar no Uber e eu for substituído, então sempre haverá outro trabalho para mim.”

Dentro de cinco anos, ele espera estar apto a viajar pelo mundo e usar a sua criatividade para perseguir o seu outro sonho além de ser motorista do Uber, que é fotografar casamentos em lugares exóticos. Vicente quer ter o mesmo foco no atendimento ao consumidor neste dia especial, e surpreender um novo tipo de cliente.

Após a minha viagem com Vicente, eu não acredito que encontrarei algum outro motorista tão bom quanto ele. Ao escrever este artigo ainda tenho arrepios por causa da forma como ele me fez sentir.

Não importa qual o seu foco na vida. Quando você da 100% as pessoas notam e elas passam a querer te ajudar.

Se você está em uma fase em que não está alcançando os seus objetivos, é porque você não está dando tudo de si e a sua paixão não está brilhando. Siga o exemplo de Vicente e dedique a sua vida ao que você faz, não importa o quão básica a sua profissão pareça para o restante do mundo.

Este artigo foi escrito originalmente no blog Entrepreneur por Tim Denning.

 

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA