Fique Rico ou Morra Ostentando…e Escravo!

795

50 Cent, um rapper americano, criou um álbum (e posteriormente um filme autobiográfico) de nome “Get rich or die tryin” (Fique rico ou morra tentando). Ele deixou bem claro através das músicas e do próprio filme que essa era a sua filosofia de vida.

Mas não é uma filosofia de vida apenas dele, é de grande parte da população mundial. Muita gente se dedica por anos estudando e trabalhando tendo como objetivo se tornarem ricas.

O meu desejo de ser rico apareceu logo no começo da adolescência. Os meus livros preferidos sempre foram sobre empreendedorismo, investimento e dinheiro. Acabei sendo influenciado pelo que li, ou procurei ler o que me estimulava, sei lá. Através dessa curiosidade eu acabei aprendendo muita coisa e formando ideias sobre como ganhar dinheiro e enriquecer. Então em uma dessas buscas eu acabei comprando um livro que resume o que já tinha convicção — sobre o que é necessário para pessoas comuns ficarem ricas.

Este artigo não tem como objetivo de analisar o “caminho para a riqueza” de gênios empreendedores, artistas, atletas e outros que se destacaram nas suas áreas. A riqueza repentina e digna de filmes de Hollywood não é uma realidade para muitas pessoas, quanto mais em um país onde a maioria das pessoas mal consegue suprir suas necessidades básicas.

Nem todos tem a mesma oportunidade que as pessoas que saem na capa da revista Forbes tiveram. E quando tem, as vezes não tem a ambição necessária.

Este artigo mostra o perfil do rico comum e sua forma de pensar. O que fez eles ficarem ricos. Esse tipo de riqueza é criada sem atalho ou golpes de sorte. Essas pessoas criaram negócios comuns e muitas vezes fizeram até trabalho braçal. São pessoas que se encaixa na frase “Quanto mais eu trabalho, mais sorte eu tenho” — são dedicadas.

O livro do qual me referi se chama “O Milionário Mora ao Lado” , que foi escrito em 1996 por Thomas J. Stanley e William D. Danko. Esses autores foram contratados por uma grande empresa americana para fazer um estudo sobre os ricos nos Estados Unidos. Eles compilaram os dados de vinte anos de estudo. Entrevistaram mais de quinhentos milionários e fizeram levantamentos com mais de onze mil pessoas de alto patrimônio líquido e/ou alta renda.

Uma das primeiras coisas que as pessoas de alta renda fazem é se mudarem para bairros de ricos. Os milionários, por outro lado, evitam esse tipo de lugar, porque sabem que não conseguirão manter os custos e despesas baixas.

A última pesquisa tinha 249 perguntas e foram feitas para mais de mil pessoas. O livro tinha como objetivo responder a simples pergunta que muita gente faz:

Por que eu não sou tão rico como gostaria de ser?

A pesquisa foi feita nos Estados Unidos com cidadão americanos. Mas o perfil dos milionários americanos é semelhante ao perfil dos brasileiros milionários que conheço. Provavelmente se esse estudo fosse feito aqui, nós teríamos respostas parecidas.

Os Milionários e o Conceito de Riqueza

Os milionários do estudo são financeiramente independentes. Eles poderiam manter o seu estilo de vida atual durante anos sem sequer ganhar um mês de salário. A maioria acumulou a riqueza ao longo de uma geração, fizeram isso de forma devagar e constante.

Para a maioria das pessoas o conceito de rico é “ter abundância de posses materiais”. Mas isso não diz nada. A pessoa pode ter abundância de posse e muitas dívidas ou parcelas para pagar.

Os autores consideraram ricos aqueles que tem um patrimônio líquido (diferença entre ativos e passivos) de US$ 1 milhão ou mais.

Quem fica rico?

Oitenta por cento dos milionários americanos são ricos de primeira geração. Os autores chegaram a conclusão que o perfil do indivíduo que fica rico nos Estados Unidos é o seguinte:

  • Negociante que viveu na mesma cidade durante toda a sua vida adulta.
  • Possui pequena fábrica, ou uma cadeia de lojas, ou uma empresa prestadoras de serviços.
  • Casou-se apenas uma vez e continua casado.
  • Seus vizinhos são pessoas que possuem uma fração da riqueza que ele possui.
  • Poupador e investidor compulsivo.
  • Segue um estilo de vida que conduz a acumular dinheiro.

Os autores descobriram sete características comuns dos que ficaram milionários:

  1. Tem um padrão de vida menor do que podem ter.
  2. Dedicam tempo, dinheiro e energia a construir riqueza.
  3. Acreditam que independência financeira é mais importante do que exibir um alto status social. Fique rico ou morra ostentando…e escravo?
  4. Seus pais não lhe deram ajuda financeira.
  5. Seus filhos adultos são economicamente auto-suficientes.
  6. Eles são muito competentes para identificar as oportunidades de mercado.
  7. Escolheram a ocupação certa.

Retrato de um Milionário.

Quem é o protótipo do milionário americano? O que ele contaria a você? Obs: estes dados são de 1996, provavelmente os dados mudaram um pouco.

  • É um homem de 57 anos, casado, com três filhos. Cerca de 70% ganham 80% ou mais da renda familiar.
  • Um de cada cinco está aposentado. Dois terços dos que trabalham são donos do próprio negócio. É interessante notar que os donos de empresas nos Estados Unidos representam menos de 20% da população, mas constituem dois terços dos milionários. Três de cada quatro dos que possuem empresas são empresários (não possuem outra atividade). A maioria dos outros são profissionais liberais independentes como médicos e contadores.
  • Muito dos negócios em que estão envolvidos são normais ou até mesmo tediosos. São leiloeiros, donos de empresas de solda, produtores de arroz, proprietários de estacionamento de trailers, donos de firmas dedetizadoras, comerciante de selos e moedas, donos de firmas de asfaltamento.
  • Cerca de metade de suas esposas não trabalham fora de casa. Entre as que trabalham, a ocupação número um é professora.
  • A renda média é de US$247.000
  • O patrimônio líquido médio é de US$3,7 milhões.
  • Em média, a renda total anual constitui menos de 7% da riqueza destes milionários. Ou seja, eles vivem por um ano com uma renda que equivale a menos de 7% da riqueza.
  • A maioria (97%) é proprietária da própria casa. O valor médio das casas é de US$320.000. Metade deles moram na mesma casa há mais de vinte anos, e graças a isso se beneficiaram de um aumento significativo no valor das moradias.
  • A maioria nunca se sentiu em desvantagem por nunca ter recebido herança. 80% fazem parte da primeira geração de milionários de suas famílias.
  • Vivem em um padrão abaixo do que podem. Usam ternos baratos, carros nacionais. A minoria tem o carro do ano. Pouquíssimos fazem leasing.
  • A maioria das esposas faz planejamentos e orçamentos meticulosos. A maior parte dos milionários afirma que suas esposas são mais conservadoras com dinheiro do que eles próprios.
  • Acumularam riqueza suficiente para viverem sem trabalhar por dez anos ou mais. Aqueles que tem patrimônio líquido de US$1,6 milhão poderiam viver confortavelmente por mais de doze anos, ou até mais do que isso, já que conseguem economizar pelo menos 15% da renda total.
  • Eles tem mais de seis vezes e meia o nível de renda de seus vizinhos que não são milionários. Moram em um bairro onde 75% não são milionários.
  • Apenas 17% dos milionários e suas esposas frequentaram a escola primária ou secundária particular. Porém 55% dos filhos estão ou já estiveram em escolas particulares.
  • Eles acreditam que educação é muito importante. Gastam altas quantias na educação dos descendentes.
  • Dois terço deles trabalham entre 45 e 55 horas todas as semanas.
  • São investidores meticulosos e cuidadosos. Investem em média todos os anos quase 20% da renda tributável. 79% tem pelo menos uma conta em uma corretora de ações. Porém eles mesmos tomam suas decisões de investimentos.
  • Quase 20% da riqueza familiar destes milionários está investida em ações negociadas na Bolsa e fundos mútuos. Mas raramente eles vendem estes investimentos. Eles ainda tem planos de pensão. Em média, 21% da riqueza familiar deles está aplicada nos seus negócios particulares.
  • Geralmente eles recomendam Direito e Contabilidade para os filhos por dependerem bastante destes profissionais. Consultores de impostos e especialista em planejamento de fundos também estão em grande demanda.
  • Os milionários são pão-duro. Eles só dedicaram de duas a três horas de seus tempos para responderam o questionário para este livro porque receberam entre US$100 a US$250 dólares por isto. E recusaram quando os autores propuseram doar este dinheiro em nome deles para a instituição de caridade que eles escolhessem.

Concluindo…

Os dados deste artigo são resumidos, o livro disserta melhor sobre cada item e detalhe da vida dos milionários. Mais mostra basicamente que não existe atalhos para riqueza — ela se resume em muito trabalho e viver com um padrão de vida abaixo do que pode, para que o indivíduo consiga poupar parte de sua renda.

Não importa se a sua renda é de R$2.000 ou R$20.000, aquele que poupa mais, será o mais rico.

Converso com muita gente que diz que tem vontade de ser rico para ter um carro importado, casa em condomínio, fazer viagens internacionais de primeira-classe. Mas esse objetivo por si só anula a possibilidade de ficar rico.

Ter um alto padrão de vida prejudica a criação de riqueza necessária para se tornar milionário e alcançar independência financeira.

Você pode ter esse padrão de vida, mas você não vai ficar rico. Vai morrer ostentando o que ainda não pode ter….e ser escravo. Digo escravo porque você não vai ter a liberdade de decidir se vai trabalhar até o fim da sua vida, será obrigado. As suas despesas, as parcelas do seu carro, da sua casa e o seu estilo de vida irão te obrigar. Não é uma forma errada de se viver, é apenas questão de escolha. Tem gente que prefere viver “uma boa vida” e abrir mão de ser rico e ter independência financeira.

Os milionários entrevistados no livro tem aversão a bens de luxo e coisas supérfluas. O objetivo de vida desses sempre foi ter segurança e liberdade.

Percebe a situação? Quem não quer e não sente a necessidade de gastar dinheiro, é quem fica rico. Quem sabe “aproveitar a vida” e o que o dinheiro pode comprar, não consegue ter dinheiro suficiente para viver assim.

Pra uma pessoa comum enriquecer, ela tem que viver uma vida que muitos consideram monótona e sem muita emoção…rotineira. Alguns gostam, a maioria detesta. Se não fosse assim, nós teríamos uma porcentagem muito maior de milionários na população.

Renda alta não significa riqueza

Os autores entrevistaram médicos e advogados de sucesso. Indivíduos com renda acima de  US$300.000 dólares por ano. Eles perceberam que poucos eram realmente ricos. Por que isso acontecia?

Porque médicos e advogados geralmente tem um padrão de vida maior do que poderiam ter para acumular riqueza. Eles vivem confortavelmente e em posição de prestígio, mas são obrigados a trabalhar pelo resto de suas vidas para pagar contas que já fizeram para o futuro. Estão presos na famosa corrida de rato.

Qual deve ser a sua riqueza?

Algumas pessoas são altas criadoras de riquezas e outras são baixas criadoras de riqueza. As primeiras vivem abaixo do que podem, as outras são consumistas e gastam com produtos que não precisam muitas vezes para ostentar.

Baseado nisso os autores criaram uma regra simples para analisar quanto de dinheiro você deveria ter de acordo com a sua idade e renda.

Multiplique a sua idade pela sua renda familiar antes dos impostos e retirando herança. Agora divida por dez. Este valor deveria ser o seu patrimônio líquido atual.

Por exemplo: Antônio tem 41 anos e ganha R$143.000 por ano. 41 multiplicado por 143.000 daria 5.863.000 — dividido por 10 — dá R$586.300,00. Este é o valor que Antônio deveria ter para se encaixar no perfil “Alto Criador de Riqueza.”

 

 

 

7 COMENTÁRIOS

    • Muito obrigado pelo apoio João Marcelo! Fico muito feliz! Continue acompanhando novos artigos. Grande abraço, Lucas.

    • Muito obrigado por seu comentário, Rafael. Sao comentários como o seu que me dão motivação para continuar escrevendo. Abraços! Lucas.

  1. Ótimo artigo. A mensagem transmitida é valiosíssima. Só há alguns errinhos de português para serem corrigidos. Dá uma atentada a isso. 😉
    Grande abraço e sucesso!

DEIXE UMA RESPOSTA