Payout e Dividendos – e quando o Payout é maior que 100%?

12385

A principal dúvida que encontro por aí em relação ao Payout, é de pessoas perguntando como ele pode ser maior do que 100. Mas antes disso preciso dar a definição e informar a diferença entre Payout e Dividendos.

Dividendos

O dividendo é uma parcela do lucro apurado para ser distribuída aos acionistas de uma empresa ao fim de seu exercício social.

Dividend Yield (ou DY): o DY é a porcentagem do dividendo por ação em relação ao preço da ação. Ex: se a empresa paga 1 real por ação de dividendo, e cada ação custa 10 reais, o seu DY será de 10%. (1:10 = 0,1 / 10%)

Taxa de Payout ou Taxa de Payout de Dividendos

É a proporção dos lucros que uma empresa paga em forma de dividendos para os acionistas. A fórmula para calcular isso é bastante simples. Basta dividir a quantidade de dividendos distribuído pelo lucro líquido no mesmo período. Por exemplo: uma empresa que lucrou R$100 e distribuiu R$60 em dividendos, tem um payout de 60%. Uma que lucrou a mesma quantidade e distribui R$30, tem o payout de 30% e assim por diante.

Fatos a serem considerados sobre Payout

Payout mínimo

Existe a crença de que o payout mínimo por lei deve ser 25% do lucro líquido ajustado. Não é bem assim. Na verdade, de acordo com a lei 6.404/76 (Lei das S/As), é o estatuto que determinará a proporção dos lucros que será destinado ao pagamento de dividendos.

O que ocorreu é que quando a lei foi criada, as companhias já existentes tiveram duas escolhas: distribuir um dividendo obrigatório de 50% dos lucros, ou convocar assembléia para definir os dividendos. O dividendo mínimo para estas companhias que já existiam, era de 25%. Mas se a empresa quisesse diminuir este percentual, ela poderia. Mas teria que recomprar as ações de todos os acionistas que ficassem insatisfeitos com esta situação. Isso faria a empresa “queimar caixa”. Para não serem obrigadas a recomprarem as ações de acionistas insatisfeitos, todas as empresas estabeleceram um mínimo de 25% de dividendos, o que se tornou um percentual padrão das empresas brasileiras.

Mas veja só, as empresas que foram criadas após esta lei podem pagar os dividendos abaixo de 25% do lucro líquido ajustado, ou inclusive até mesmo deixar de pagar — caso a companhia entenda que o dividendo obrigatório seja incompatível com a situação financeira da empresa em algum exercício.

O LUCRO LÍQUIDO AJUSTADO é o lucro líquido contábil menos as reservas, tais como reserva legal, reserva de contigência, etc.

Os tipos de empresas e as respectivas taxas de Payout

A taxa de payout diz muito sobre uma companhia.

Companhias que pagam altos dividendos, payout >50%  (muitas vezes com payout perto ou acima de 100%)

As companhias que pagam altas taxas de dividendos normalmente se encontram em mercados onde haja demanda inelástica. A demanda inelástica é uma demanda estável, onde uma variação no preço não causa uma variação com a mesma relevância na demanda. Geralmente são empresas de utilidade pública, tais como companhias elétricas e de saneamento. Isso acontece também com algumas empresas financeiras como bancos e seguradoras, e outras específicas como empresas de cigarro, por exemplo.

Uma companhia elétrica, ao aumentar o preço da conta de luz em 10%, não perde 10% de sua demanda. O consumidor é praticamente obrigado a pagar, porque quem vive sem energia elétrica?

O mesmo acontece com uma empresa de cigarros, como a Souza Cruz. A demanda é estável o ano inteiro, em qualquer estação, e também em qualquer situação econômica. Nenhum fumante deixa de fumar na crise, ou porque o tempo está frio, ou quente.

Então, como algumas empresas tem um payout acima de 100%?

O payout acima de 100% significa que a empresa está pagando em dividendos mais do que ela lucra em suas atividades. Muitas vezes isso ocorre porque a empresa retira uma parte deste valor pago em forma de dividendos, de sua reserva de lucros a realizar ou reserva de capital, no caso de ações preferenciais. A empresa poderá retirar os dividendos ou parte deles da reserva de lucros a realizar buscando atingir a alíquota mínima de dividendos estabelecidos no estatuto.

Aconteceu recentemente com a Saraiva (SLED3/SLED4). A empresa teve um lucro bem abaixo da média e resolveu manter o mesmo valor em dividendos pagos. Isso se resultou em um payout de 192%! 

PORQUE ELAS FAZEM ISSO: geralmente elas fazem isso como forma de recompensar o acionista por algum resultado ruim. Foi o que a Saraiva fez no início de 2014. O resultado anual de 2013 foi ruim mas ela resolveu manter o mesmo valor de dividendos para que o acionista não seja totalmente prejudicado por erro dos administradores.

Particularmente não gosto muito dessa ideia porque considero “tapar o sol com a peneira”. Além disso, a empresa já não foi bem financeiramente, ainda vai queimar as reservas para fingir ter um resultado que não teve de fato?

Companhias que pagam dividendos “normais’ próximo a 25% 

As empresas que pagam taxas próximas a 25% de payout são empresas que vêem potencial de crescimento no mercado que atuam. São todas as “outras” empresas. Aquelas onde haja demanda elástica, que se você mudar o preço do produto, a demanda irá mudar de forma relevante.

Warren Buffett estabeleceu que a sua companhia não pagaria dividendos até o ponto onde houvesse formas mais rentáveis de reinvestir o lucro da empresa. Inclusive ele explicou na Carta Anual aos Acionistas da Berkshire Hathaway.

Ele listou as coisas que a empresa poderia fazer com seus lucros, que são:

  1. Reinvestir na companhia, buscando o crescimento orgânico.
  2. Adquirir outras empresas
  3. Recomprar ações
  4. Pagar dividendos

Sabemos que Warren Buffett gosta dos três primeiros itens, mas não gosta tanto de pagar dividendos. Ele vê duas desvantagens no pagamento de dividendos:

  1. Investidores gostam de níveis diferentes de payout. Então a partir do momento que você estabelece a sua política de dividendos, que é a de não pagar dividendos no caso dele, os acionistas comprarão as ações sabendo disso.
  2. A companhia paga imposto sobre dividendos distribuídos. E tem muitos investidores que não gosta desta idéia. No Brasil isto não se aplica já que as empresas e investidores não pagam imposto sobre dividendos. Mas as empresas pagam menos imposto caso elas optem por distribuir JCP ao invés de dividendos. Isto acontece porque o JCP é descontado do montante no qual haverá incidência da alíquota de imposto de renda, enquanto o dividendos não pode ser descontado.

Warren Buffett defende que é melhor obter retornos maiores ao longo do tempo que você possui a ação, e que se for o caso de querer fazer um dinheiro, bastaria vender algumas ações. Essas ações obviamente terão valor consideravelmente maior graças à política de retenção dos dividendos para investir em itens mais lucrativos, como os citados acima.

Na verdade o mega-investidor não é contra a política de dividendos. A sua empresa mesmo possui investimentos em empresas que pagam grandes somas de dividendos. Entretanto, ele prefere quando companhias trazem maiores retornos reinvestindo o lucro em suas operações.

2 COMENTÁRIOS

    • Boa tarde faustosalmeida, muito obrigado pela correção. A incidência de imposto de renda sobre dividendos acontece nos EUA e faltou mencionar isso no artigo. Corrigi e complementei. Abraços!

DEIXE UMA RESPOSTA